Tecnologia do Blogger.

11 de abril de 2014

[SEMANA SILO] O Que É Que As Distopias Têm?



Sei que muitos de vocês se vêem constantemente alimentados pela curiosidade de saber o que afinal as distopias têm de tão especial. Então acabei entrando no clima daquela música 'O que é que a baiana tem?' e decidi fofocar na Semana SILO de hoje sobre o porque das distopias estarem sempre em alta.

Vamos falar um pouquinho dos universos distópicos mais bambambãs da história. Escolhi mostrar as diferentes ramificações das distopias, já que cada uma me fascina a seu modo. Venha conferir o apanhado que fiz com algumas das melhores distopias e descobrir o que é que elas têm afinal!


Para começar a entender melhor de distopia totalitária vamos com o clássico de George Orwell em 1984 (resenha), onde, pouco a pouco a tecnologia invasiva e a imponente figura do Grande Irmão criada por uma sociedade dominadora onde só o poder interessa, assombram nosso herói Winston Smith. De todas as distopias que já li, esta é a mais controladora e assustadora (não no sentido terror, mas por saber que nossa realidade não está, nem nunca esteve, muito distante dessa criada por George Orwell) e é de longe a mais genial. 

Outra distopia totalitária é a aclamada criação de Alan Moore em V de Vingança. Na esperança de que haja liberdade novamente uma figura misteriosa, V, luta contra o regime totalitário que domina uma Inglaterra de 1997. Esse tipo de distopia aborda conceitos chaves tão marcantes que conseguem impressionar até os leitores mais exigentes. Outros livros também excepcionais que seguem em padrões similares são Fahrenheit 451, Admirável Mundo Novo e Laranja Mecânica.



Existem ainda as distopias pós-apocalípticas. O mundo foi destruído, ou por guerra nuclear, colapso ambiental ou algum vírus letal que dizimou quase um planeta inteiro. Seja como for, nessas distopias a sociedade começa a se reerguer e os cenários não são dos mais belos. Como é o caso de Eu Sou a Lenda de Richard MathesonEsse tipo de futuro pós-apocalíptico também ocorre em universos paralelos. Um exemplo é a magistral criação de Stephen King em sua saga A Torre Negra (resenha), onde o mundo de Roland Deschain "seguiu adiante"; e o mundo de Silo (resenha). 

Mais um tipo de distopia super interessante é a distopia cyberpunk que se passa na era digital. Numa vibe totalmente tecnológica dominada por megas corporações onde os melhoramentos cibernéticos estão em alta. William Gibson é um dos fundadores do gênero com sua trilogia Neuromancer

Por fim têm as distopias of-world onde os homens não contentes em destruir o próprio planeta embarcam na desconhecida exploração do universo em busca de colonizar outros mundos. Um clássico da distopia of-world que sempre me despertou imensa curiosidade é Duna de Frank Herbert. Sou fascinada pela mistura de ficção científica alienígena com distopia.



E eu não poderia deixar de lado as famosas distopias juvenis, e elas são diversas! Algumas que mais gostei foram: GoneJogos VorazesCaminhos de SangueFeiosDelírio e A Seleção (clique nos títulos para conferir as resenhas).


Então me perguntem: O que é que as distopias têm? Diversidade, elas exploram uma sociedade que caminhou para um futuro que não deu muito certo e sempre nos chocam de alguma forma; trabalham o conceito de revolução, liberdade de ideias, mudança já, e acompanhar essas ideias é o mais empolgante de tudo, aquela faísca antes de uma revolução. Todas as distopias são trabalhadas sob cenários diferentes, mas o que elas querem mesmo é nos mostrar que todas têm seu lado controlador e sombrio. Por tudo isso e muito mais que AMAMOS as DISTOPIAS.



7 comentários:

  1. Eu gosto muito de distopias e minhas preferida são sobre as pós-apocalípticas, me interesso mais por elas do que pelas outras, mas não deixando de ler todo tipo de distopias são minhas leituras preferidas.
    Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito de distopias, amei Jogos Vorazes, Feios e A Seleção, esse livro Silo parece ser ótimo, estou doida pra ler!

    ResponderExcluir
  3. Isso é mesmo muito interessante, Cel!
    Eu acabei de ler a duologia distópica Starters: Starters e Enders, da Lissa Price.
    Adorei!
    E depois de ler este post, me arrisco em classificar Starters como uma distopia cyberpunk. Será?

    ResponderExcluir
  4. Todo mundo amava Jogos Vozares e eu comecei a ver isso além dos vlogs e blogs literários, diziam que ia ser "O novo Harry Potter" (não gosto dessas comparações apenas para chamar atenção). Relutei um pouco em ler, mas quando eu li me perguntei por que demorei tanto! Simplesmente adorei e as próximas que quero ler são Divergente, Maze Runner e agora SILO!

    ResponderExcluir
  5. Eu não li muitas distopias, na verdade eu tinha um certo preconceito, mas depois que li a primeira (Adormecida) eu passei a querer ler outros e assim li Jogos Vorazes que eu amei. Ainda não li nenhuma dessas distopias clássicas, mas quero muito ler 1984.
    Garota Eclética

    ResponderExcluir
  6. Olá Cel...Incrível esta postagem, este gênero é um dos meus preferidos...Creio que sua forma forma de escrita é o que mais me agrada pois acompanhamos o desenvolvimento dos personagens =)
    Jogos Vorazes é sem dúvida meu preferido!!
    Parabéns pela postagem!!

    ResponderExcluir
  7. A unica distopia que li dessa lista foi Laranja Mecânica( considero ele o melhor livro que eu já li).Apesar de adorar esse gênero e a maioria das ramificações que você citou no post, ainda não li nenhuma distopia pós-apocalíptica acho que por não ter topado com nenhuma historia que me interessasse .

    ResponderExcluir