Tecnologia do Blogger.

21 de abril de 2014

[RESENHA] Colin Fischer – Ashley Edward Miller, Zack Stentz





Colin Fischer por Ashley E. Miller, Zack Stentz
  • Editora: Novo Conceito
  • ISBN: 9788581634166
  • Ano: 2014
  • Páginas: 176
  • Gênero: Infanto-juvenil;
  • Onde comprar:



Colin Fischer está prestes a solucionar um mistério.



Muitos já devem ter ouvido falar sobre autismo, mas e a síndrome de Asperger? Existe certa diferença entre os dois. Se comparados com um jovem autista, os jovens com a síndrome de Asperger tem maior probabilidade de se tornarem adultos normais. A maior dificuldade está mesmo na fase de escola porque apesar de terem a gramatica e vocabulário acima da média eles se sentem frustrados com a dificuldade de se socializarem, decifrar emoções (ou sarcasmo) e têm aversão ao contato humano.


O ano letivo de Colin Fischer acabou de começar. Agora com 14 anos ele terá de enfrentar sozinho os 1.365 dias até o fim do colegial. Colin tem a síndrome de Asperger, não suporta ser tocado e tem o QI bastante elevado. Esse garotinho irá te conquistar e divertir durante toda a leitura. 

No aniversário de Melissa (a garota que Colin de certa forma "gosta") houve uma confusão na cantina e alguém disparou uma arma. A quentão é: Wayne Connelly, o garoto que sempre implicava e batia em Colin é o principal suspeito, mas Colin sabe que não poderia ter sido Wayne. Afinal de contas, a arma estava suja de glacê do bolo, e Wayne não tinha glacê nas mãos.

Como um Sherlock Holmes dos tempos modernos, Colin é um investigador nato! Com seu incrível senso de percepção e dedução ele fará de tudo para solucionar o mistério ao mesmo tempo que também adquire "novos hábitos" mudando a forma como muitas pessoas o enxergam.


O ponto alto do livro é que ele não abre brechas para sentirmos pena de Colin, ele é incrível demais para isso (alguém aí sente pena do Sheldon Cooper de TBBT?? acho que a maioria o adora). O que quero dizer é que o livro é engraçado, viciante e não existe muito drama pela condição de Colin, apenas retrata sua convivência com a família e na escola.


O problema do livro é que ainda não sabemos se haverá continuação – que é essencial para o fechamento da história de Colin, muitas coisas ficaram em aberto (cheguei a cogitar a ideia de que em meu exemplar faltavam as últimas páginas). Outro problema são as notas de rodapé (são tantas) confesso que pulei algumas.


Uma leitura apaixonante e super envolvente. Ainda melhor do que imaginei!

.:: RECOMENDO ::.
Minha Avaliação: ★★★★☆ -> Muito Bom!

Leituras Similares:

  Image and video hosting by TinyPic  Image and video hosting by TinyPic


5 comentários:

  1. Oi Cel,
    Eu realmente não conhecia a síndrome de Asperger, mas fiquei com vontade de saber um pouco mais e esse livro parece ser muito bom para entender a síndrome, pena que não se sabe se terá ou não continuação.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  2. Oi Cel,
    Eu realmente não conhecia a síndrome de Asperger, mas fiquei com vontade de saber um pouco mais e esse livro parece ser muito bom para entender a síndrome, pena que não se sabe se terá ou não continuação.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  3. Muito bom!
    Eu não fazia a mínima ideia que este livro tratasse da Síndrome de Asperger! Pensei que fosse mais um típico livro sobre crises da adolescência.
    Pudera, é a primeira resenha que leio sobre Colin Fischer e adorei!
    Parabéns, Cel!

    ResponderExcluir
  4. Eu não tinha prestado muito a atenção neste livro ,tinha visto a capa mais nem me interessei em ler a sinopse. Mas depois de ler tua resenha fiquei interessada no livro, pois aborda um tema interessante e pouco divulgado.E realmente uma pena que não tenham especificado se haverá uma continuação...
    Parabéns pela resenha!!

    ResponderExcluir
  5. Gosto de livros que falam sobre autismo para conhecer um pouco mais sobre esse "universo".
    O livro é bem fininho e acho que, aliado ao fato de ser divertido, é uma boa pedida para intercalar com leituras mais pesadas. :D
    Ahh, eu também não curto muito notas de rodapé. Em 'O Teorema Katherine' eu deixei de ler vááárias. hahaha

    ResponderExcluir